Hotéis independentes fogem das operadoras !

Represento alguns hotéis independentes no Brasil, quase todos com pequenos números de UHs e que tomaram como decisão romper as parcerias com grandes operadoras fazendo um trabalho mais ativo direto com agências e agentes de viagem, isso porque os antigos valores de praxe (comissão de vendas de 20% para TO e 10% para agências) hoje tomaram vultos exorbitantes para os pequenos hoteleiros.

Estar hoje em um portal ou em um folder  promocional chegam a valores de até 30% sobre a tarifa net, o que jamais confrontaria com a tarifa balcão de estabelecimentos de médio porte.

Será que são novos tempos para uma proximidade maior entre fornecedores e agências? Será que voltamos aos antigos tempos onde mesmo com a tecnologia “on line” as agências voltam a ter seu “valor” no trade?

Enfim…pequenos se unem com pequenos que vislumbram sim o lucro, porém com a consciência de vale ganhar menos mas continuar ganhando.

 

Patricia de Campos

 

 

 

Udu, Juruva ou Duro-duro…está é uma das maravilhosas aves do pantanal !

O interesse pelo chamado turismo de avistamento tem crescido no Brasil. Um dos destinos mais procurados é o pantanal que abriga centenas de aves típicas brasileiras, algumas existentes só na região pantaneira.

Munidos de binóculos e máquinas fotográficas os “avistadores” acordam antes do sol nascer para poder ouvir os primeiros cantos dos pássaros ao amanhecer.

O período de junho a novembro é o ideal para o destino.

Dois hotéis fazenda dão todo o suporte e conforto para os “avistadores”. Em Miranda (MS) a Fazenda Baía Grande (www.fazendabaiagrande.com.br), para quem escolher o município de Aquidauna o Hotel Fazenda Baía das Pedras (www.baiadaspedras.com.br) .

Vale á pena essa experiência !

Centenário do homem que inspirou nosso nome

Há cem anos nasceu José Dantrino, o poeta gentileza, que mesmo tendo todos os motivos para se revoltar, pregou a necessidade da GENTILEZA na vida. Conheça mais sobre esse homem e sua filosofia de vida.

http://www.jb.com.br/fotos-e-videos/video/2017/05/23/centenario-do-poeta-jose-datrino-1917-1996-profeta-gentileza/

Gentileza r.p. completa dois anos !

A agência de representação de hotéis e destinos, Gentileza r.p. , completa dois anos no mercado. Durante sua curta trajetória uma carteira de mais de dez clientes especiais, que proporcionam experiências únicas em seus empreendimentos e destinos.

“A intenção da Gentileza r.p. é trazer para o trade produtos de qualidade, inusitados e que possam proporcionar experiências, além de um novo olhar para os vários e maravilhosos destinos que nosso país oferece e são tão pouco explorados. Quando levamos às “prateleiras” das agências e operadoras Pacaraima, por exemplo, estamos sobretudo fomentando o turismo local e gerando oportunidades sociais”, diz Patricia de Campos diretora da Gentileza r.p., que agradece as relações de parceria construídas no caminho.

A agência deve trazer novidades para os próximos meses, sem perder seu foco e conquistando novos mercados.

Rota 174 volta a ser destino no trade

Ligando o hemisfério norte ao hemisfério sul de nosso planeta, num percurso de 1.100 Km, entre a floresta amazônica e as planícies de Roraima, a Rota 174 volta a ser oferecida ao trade nacional e internacional.

A Rota 174 foi produto criado pelo Ministério de Turismo em 2010. Era para ser lançado nas feiras internacionais do trade. A intenção era atrair turistas do mundo inteiro para conhecer nossas belezas naturais. Porém, foi totalmente abandonado antes mesmo do lançamento.

Roraima Adventures, operadora que recebeu no ano passado a menção honrosa da Braztoa como empresa sustentável, conhecedora das “entranhas” do nosso país, traz de volta esse indescritível destino.

O caminho percorrido passa pela exuberante floresta amazônica e suas bacias. E chega até os lavrados e serras de Roraima, no extremo-norte da terra “brasilis”.

Durante o percurso, passa-se por reservas indígenas, os cerrados de Roraima, a Gran Sabana – de onde se avista o altivo Monte Roraima, povos ribeirinhos e a cidade de Presidente Figueiredo (capital das cachoeiras).

É possível também navegar no “marco zero” da Terra e no encontro das águas dos rios Negro e Solimões. Isso tudo somado à diversidade cultural e gastronômica, que só essa rota pode oferecer.

“Esse é o momento onde “redescobrir” as belezas tão pouco exploradas de nosso país”, diz Magno Souza, da Roraima Adventure. A empresa passa a oferecer mensalmente pacotes de 5 e 10 dias, com saídas de Manaus e de Boa Vista.

É uma viagem repleta de atrativos naturais, culturais, culinários, sem falar na exuberante biodiversidade da Amazônia e os cerrados de Roraima, tem-se a oportunidade de conhecer uma região com forte influência indígena e cabocla.

A Rota 174 pode ser realizada durante o ano todo. A região tem apenas duas estações climáticas distintas: as chuvas e a seca. A viagem tem início em Manaus. Mas o roteiro pode ser modificado, conforme a disponibilidade de tempo do viajante ou, se preferir, fazer somente algumas das partes que tenha mais interesse.

Para saber mais é só acessar:  https://roraimaadventures.com.br/

 

Patricia de Campos

 

Pousada Jardim da Mantiqueira: opção minimalista em Monte Verde

Monte Verde, a Suíça brasileira, localizada na divisa de São Paulo e Minas Gerais, no município de Camanducaia, é um dos destinos mais procurados no inverno. Charme, boa gastronomia, chocolate e frio que chega a marca de menos dez graus centigrados faz a pequena vila ficar lotada de turistas.

Hotéis de porte médio e pequenas pousadas estão por toda parte e agora Monte Verde traz ainda mais uma opção, é a Pousada Jardim da Mantiqueira  com uma proposta diferente de tudo que há.  O conceito principal é fazer com que os clientes possam vivenciar experiências e sensações esquecidas no dia a dia, como observar  uma infinidade de pássaros, borboletas ou esquilos durante o dia e a noite admirar as milhares de estrelas do intenso céu azul nas enormes e panorâmicas varandas das suítes, que se projetam no espetacular bosque de araucárias e bromélias.

Quem quiser conhecer esse espaço tão especial basta acessar http://pousadajardimdamantiqueira.com/

Os valores são bem convidativos !

 

Patricia de Campos

 

Peixe na telha é no Pira Bar !

O famoso peixe na telha é tradição da cidade de Pirajú, localizada ás margens do Rio Paranapanema e o Pira Bar é a referência regional gastronômica.
Localizado à beira do rio o restaurante oferece espaços agradáveis ao ar livre e em salões internos decorados de forma original, além de oferecer pedalinhos e passeios de barco.
No cardápio além do peixe na telha, moqueca de peixe com camarão com pirão e o lambari frito.
Se você é ou estiver na região vale á pena conferir.
O Pira Bara fica na Pça. Benedito Silveira Camargo 155, no centro de Pirajú.
Informações e reservas pelo telefone (14) 3351.4387

Roraima Adventures traz de volta ao mercado a Rota 174

Em 2010 o Ministério do Turismo lançou a chamada Rota 174, uma das mais maravilhosas viagens que nosso país poderia oferecer ao trade nacional e internacional. Com as constantes mudanças na política de turismo brasileira, um dos nossos melhores destinos acabou por ser esquecido.

A chamada Rota 174 liga o hemisfério norte ao hemisfério sul de nosso planeta, em um traçado de 1.100 Km, passando pela exuberante floresta amazônica e suas bacias, chegando até os lavrados e serras de Roraima, no extremo norte da terra “brasilis”. Durante o caminho reservas indígenas, cerrados de Roraima, a Gran Sabana de onde se avista o altivo Monte Roraima, povos ribeirinhos, a cidade de Presidente Figueiredo (capital das cachoeiras), a possibilidade de navegar no “marco zero” da Terra e no encontro das águas dos rios Negro e Solimões, isso tudo somado a diversidade cultural e gastronômica, que só essa rota pode oferecer.

E nesse momento onde “redescobrir” as belezas pouco exploradas de nosso país se faz tão necessário, a Roraima Adventure abraçou esse desafio e lança a partir do próximo mês para o trade a ROTA 174, com pacotes de 5 e 10 dias, com saídas de Manaus e de Boa Vista.

Datas e detalhes no site www.roraimabrasil.com.br.

 

Patricia de Campos

Roraima Adventures agora com aventuras por todo Brasil !

A  operadora de turismo de experiência e aventura Roraima Adventures, com sede em Roraima, se expande agora para todo Brasil.

Premiada no final do ano passado pela BRAZTOA com menção honrosa pelo seu trabalho e preocupação com a sustentabilidade, a Roraima Adventures sempre foi, e continua sendo, referência nas expedições ao Monte Roraima, experiência de trekking marcante vivida não apenas por turistas brasileiros, mas destino muito procurado por amantes de aventura de todo o mundo.

Com uma equipe experiente e atenciosa sob o comando de Magno Souza, amplia seus destinos e traz novidades para trade, com destinos que vão do norte ao sul do país.

A próxima aventura a ser lançada será a Travessia Cassino – Chuí, a maior praia do mundo, uma faixa de areia contínua que se estende à fronteira sul do Brasil, com o oceano Atlântico à esquerda e a estação ecológica do Taim e Lagoa da Mangueira à direita. São 230km de praia preservada pelo acesso inóspito, sendo 180km praticamente desertos. A primeira data de saída acontece no início do mês de maio, com calendário até 2020.

Nos próximos dias será apresentado também: Cavalgadas em Roraima com os cavalos lavradeiros, Serra do Roncador, Origens do Rio Amazonas, entre outras aventuras incríveis.

Para quem quiser saber mais, e conhecer outras opções, é só entrar e contato com a Roraima Adventures acessando o site https://www.roraimabrasil.com.br/ ou com a Gentileza r.p. que representa a operadora junto ao trade (contato@gentilezarp.com)

Patricia de Campos

 

 

Turismo Rural ganha novo parceiro

A Avantti Turismo Rural, de São José do Rio Preto passou a investir no turismo rural da região noroeste do Estado de São Paulo.

Empreendedor de sucesso, zootecnista e criador de gado, Sylvio Di Jachinto, que é um dos sócios da Avantti Turismo Rural, reconhece o potencial da região nunca antes explorado e a possibilidade através do turismo rural fixar as novas gerações no campo.

Com o decorrer das décadas, São José do Rio Preto que sempre foi conhecida pela sua pujança no agronegócio, mantém hoje ainda seu destaque porém a pecuária e plantações de laranja já há alguns anos foram substituídas por canaviais que acabaram por englobar pequenas propriedades, porém a cultura caipira ainda é presente e segundo Sylvio, precisa ser redescoberta para que se mantenha e esse é o turismo rural é inclusive um caminho para geração de renda de famílias que não se renderam a monocultura canavieira.

A própria Avatti Turismo Rural faz inicialmente a formação dos integrantes de seus roteiros, lança esse mês a Rota da Cachaça e da Macadâmia, ambas com duração de um dia, é uma complementação para quem busca lazer nos famosos parques aquáticos de Olympia e para o público em geral da própria região e que perdeu o contato de suas tradições.

Quem quiser saber mais sobre as rotas pode entrar em conto pelo telefone (17) 99772-6801 ou e-mail: capimverde@capimverde.com.br

 

Patricia de Campos

 

Porque quase não existem atividades turísticas acessíveis no Brasil ?

A resposta é simples … porque o Brasil ainda não enxergou como “bom negócio” esse público. Existem aqueles que dirão que o país está trabalhando para acessibilidade, mas não estamos aqui falando de política pública mas de  empreendimentos de turismo que apenas adaptam um ou dois apartamentos, o que é de Lei, e não estão preocupados em dar aos vários tipos de deficientes a oportunidade real de integração e lazer.

As estatísticas mostram que quase 50% da população brasileira é portadora de algum tipo de deficiência, que em vinte anos a população de idosos (baixa mobilidade) será de mais de 60% . Esse público consome e quer qualidade de vida.

A COPRAC – Consultoria e Projetos faz um trabalho de adaptação de  atividades turísticas e em seus dois anos  no mercado pode perceber que poucos são os que conseguem ter visão de ser esse público um mercado atraente e carente de opções. Quem investiu está tendo retorno, quem não investe fica inclusive antipatizado e tenha certeza que muitos cadeirantes, vovôs e vovós hoje são “influencer”


 

 

Turismo Rural de Luxo, uma realidade a ser explorada !

Quando se fala em Turismo Rural a ideia que nos vem a cabeça é sempre daquele tradicional hotel fazenda com bichinhos ou um local rústico onde se pode ver a ordenha da vaquinha malhada, mas Turismo Rural pode ser muito mais que isso.

Um bom exemplo é a Fazenda Santa Vitória no município paulista de Queluz, que teve suas atividades no séc IXI com o ciclo da cana, passando pelo café e hoje produzindo mais de oito mil litros de leite por dia.

O casarão nos remonta aos tempos dos Barões, com simplicidade colonial e seu luxo. Nos quartos o mobiliário colonial agregado a detalhes de classe, como os lençóis, toalhas, amenities e a culinária, que mantém a tradição gastronômica da comida caipira paulista com um toque de internacionalidade, pelas mãos de um chef.

O diferencial no acolhimento e a preocupação com todos os detalhes, onde cada hóspede é único.

A cada refeição uma surpresa, não só no menu mas no local em que são servidas. Atividades como cavalgar, caminhar se tornam especiais na companhia dos colaboradores que servem como guia. Cenários deslumbrantes como vales e uma cachoeira cinematográfica e mais uma oferta de outras atividades de integração a vida rural deslumbram qualquer visitante.

Com esse exemplo, percebemos que muito tem a ser explorado dentro do segmento que desponta cada vez mais no trade, o Turismo Rural. Precisamos porém mudar o conceito e a imagem que temos e vendemos de destinos que são ímpares.

 

Patricia de Campos

E aos poucos tudo vai se acabando …

Temos sem dúvida que repensar nossas ações porque a cada dia destruímos , não aos poucos, mas aceleradamente nosso planeta.

Ficamos horrorizados com a tragédia acontecida em Brumadinho, pior ainda para quem se colocou no lugar das vítimas e conseguiu imaginar o que deve ser morrer sufocado pela lama. O rio morreu pela ganância humana. Os mares também estão morrendo pela falta de consciência de cada um de nós, que insiste em utilizar o vilão do século, o plástico no dia a dia.

Turistas lotam Resorts á beira do mar nesse verão, mas não conseguem aproveitar a praia durante o dia por causa do calor excessivo e se trancam em seus apartamentos com ar condicionado. Animais marinhos aparecem nas praias agonizantes por terem substâncias tóxicas em seu corpo ou por estarem com o estômago recheado de lixo que jogamos no mar.

Não teremos o turismo de pesca por muito tempo, afinal já não é possível pescar o Dourado nas águas do Mato Grosso do Sul para que não se extinguam, enquanto isso animais introduzidos no país sem nenhum critério, como o Javali , destrói animais nativos criando um grande problema no eco-sistema.

E assim vamos nós … aprisionando pássaros em gaiolas que não terão como reproduzir a espécie.

E assim vamos nós … permitindo que minas de pedras preciosas sejam exploradas por “debaixo do pano” destruindo nossas belezas naturais.

E assim vamos nós … viajando cada vez mais para o exterior ao invés de conhecer para preservar o que temos de tão rico e bonito, que tem sido descoberto cada mais por estrangeiros que acabam por comprar mais e mais terras que deveriam ser valorizadas por nós.

E assim vamos nós …

Patricia de Campos